Profile Main Image

Humberto

Afinal, como anda o Pioneer hoje?

Apresento-lhes o atual metagame do Pioneer.

Em Outubro de 2019, a Wizards anunciou uma nova proposta de formato sem rota√ß√£o, iniciando-se de Return to Ravnica adiante. O prop√≥sito da sua cria√ß√£o foi a mesma da qual o Modern preenchia quando foi anunciado: Um formato sem rota√ß√£o onde jogadores possam reutilizar suas cartas do Standard ap√≥s a rota√ß√£o. E assim nasceu o Pioneer. No come√ßo do ano, a Wizards passou a integrar o Pioneer √° seus an√ļncios tradicionais de banidas e restritas e o formato tornou-se, oficialmente, um formato sancionado com planejamento de ser um dos principais para eventos como MagicFest, SCG Tour e Players Tour em 2020. Ent√£o a pandemia ocorreu. E a maioria dos eventos de Magic de grande porte foram migrados para o MTG Arena. Pioneer firmou-se ent√£o apenas no MOL, com eventos semanais. Por conta dessa cadeia de eventos, o Pioneer acabou n√£o tendo sua "grande estreia" ao decorrer do ano, e ficou um pouco ofuscado nas mat√©rias dos principais sites e nos eventos. Portanto, hoje estou aqui para apresentar √° voc√™s o atual metagame do Pioneer, baseando-me nos oito decks que mais fizeram resultados no √ļltimo m√™s. A primeira coisa √° se entender sobre o metagame do Pioneer, √© que ele √© definido hoje pelo o que eu chamo de "Tr√≠ade do Combo", que s√£o os tr√™s decks que mais tem feito resultados nos torneios atualmente: [deck](49274) Atualmente, o deck mais presente no formato √© o Dimir Inverter. Ele funciona como um combo-control que tenta responder √°s amea√ßas do oponente e disrup√ß√Ķes para se proteger, at√© que possa utilizar de um [card](Inverter of Truth) para exilar o pr√≥prio grim√≥rio e ganhar com [card](Thassa's Oracle) ou [card](Jace, Wielder of Mysteries). O que o torna t√£o eficiente √© a sua capacidade de proteger-se com cards como [card](Thoughtseize), enquanto interage com a mesa do oponente com remo√ß√Ķes at√© ter todos os recursos para fechar o combo. Al√©m disso, ele consegue manter um cemit√©rio vazio ou quase vazio utilizando [card](Dig Through Time), um card que encaixa-se perfeitamente em tudo o que o deck precisa fazer: Segurar o jogo e encontrar as pe√ßas para fazer o combo, ou as respostas para lidar com situa√ß√Ķes desfavor√°veis. Em muitos aspectos, o Dimir Inverter lembra-me o antigo Splinter Twin do Modern. [deck](49276) Na Tr√≠ade dos Combos, o Mono White Devotion √© o menos consistente em termos de conseguir fechar o jogo com seu combo, mas ele compensa isso sendo capaz de jogar o fair-game de maneira excepcional e essa √© sua maior vantagem. O deck consegue misturar o card advantage de [card]( Thraben Inspector), [card](Arcanist Owl), [card](Elspeth Conquers Death) e [card](Walking Ballista) com amea√ßas dif√≠ceis de responder como [card](Heliod, Sun-Crowned) e [card](Gideon of the Trials) para criar uma lista extremamente sin√©rgica e eficiente que, em muitas ocasi√Ķes, consegue levar o jogo no bom e velho 'fair Magic'. Mas sempre apresentando aquela constante amea√ßa de poder fechar o combo √° qualquer momento. [deck](49275) O Lotus Breach √© o √ļnico deck da Tr√≠ade que √© um combo puro, sem jogos alternativos. Ele utiliza de cards que desviram permanentes, como [card](Vizier of Tumbling Sands) e [card](Hidden Strings) junto de [card](Lotus Field), que pode ser copiado com [card](Thespian's Stage), para gerar uma quantidade abundante de mana. Feito isso, pode utilizar de [card](Underworld Breach) para reutilizar quase que constantemente as m√°gicas de seu cemit√©rio, gra√ßas √° [card](Tome Scour). Em seguida, o deck utiliza [card](Fae of Wishes) para buscar a sua win-condition, que varia de acordo com a situa√ß√£o em que ele se encontra. A grande for√ßa do Lotus Breach encontra-se num misto de sua velocidade com sua capacidade n√£o-interativa de se proteger: Com a maioria de suas win-conditions no sideboard, e tendo sua principal fonte de mana com hexproof, o deck consegue ter certa tranquilidade de que, independente da situa√ß√£o em que se encontre, ele sempre ter√° uma oportunidade onde ainda consegue ganhar o jogo. Al√©m disso, nem sempre o deck precisa gerar mana infinita ou millar infinito para ganhar o jogo: [card](Ugin, The Spirit Dragon) √°s vezes √© tudo o que o ele precisa para estabilizar o jogo e ganhar. Isso porque muitos decks n√£o conseguem se recuperar da remo√ß√£o global que o Planeswalker produz enquanto ainda sobrevive para controlar o jogo todos os turnos. √Ās vezes, voc√™ n√£o precisa de mana infinita. Basta buscar um Ugin no Sideboard e fazer oito manas. Apesar da Triade do Combo compor hoje mais de 30% do metagame, o formato n√£o √© feito apenas deles: [deck](49279) N√£o importa o formato, sempre existir√° uma varia√ß√£o de Mono Red ou Burn. O Burn tornou-se um dos principais decks do formato antes da mudan√ßa feita na mec√Ęnica de Companion, mas n√£o ficou necessariamente inviabilizado: [card](Lurrus) ainda √© uma carta que gera muito valor ao entrar em jogo e que demanda uma resposta imediata em listas como essa. Al√©m disso, o deck n√£o faz concess√£o alguma para colocar o famoso companheiro na sua lista. [deck](49278) Por outro lado, a vers√£o Mono Red possui muitos tra√ßos dos decks vermelhos que costumamos ver no Standard nos √ļltimos anos: Criaturas de qualidade que apresentam-se como uma amea√ßa constante na mesa, e m√°gicas que servem tanto como remo√ß√£o quanto para finalizar o jogo. As amea√ßas das listas variam muito nas curvas mais elevadas do deck. J√° vi inclusive listas que utilizavam [card](Glorybringer) e [card](Embercleave). Com rela√ß√£o aos combos, esses decks tentam vencer o jogo o quanto antes. Em algumas ocasi√Ķes, pouca importa se seu oponente acabou de fazer um Inverter of Truth e vai combar no pr√≥ximo, ou conseguiu buscar e baixar uma Lotus Field: O que importa √© que a vida dele est√° baixa, e voc√™ precisa ter o suficiente para leva-lo √° zero antes do pr√≥ximo turno. Outros decks que se encaixam nessa categoria s√£o o Izzet Ensoul e o Gruul Aggro. [deck](49280) Apesar de n√£o ser t√£o √°gil quanto o Mono Red, as listas de Vampires tem sido uma boa maneira de ser disruptivo sem abrir m√£o da agressividade: Seu early game pode n√£o ser explosivo, mas o card advantage e a sinergia que [card](Champion of Dusk) e [card](Sorin, Imperious Bloodlord) oferecem para com o resto do deck tendem a compensar e oferecer uma estrat√©gia consistente. Al√©m disso, a inclus√£o de[card](Mutavault), [card](Castle Locthwain) e[card]( Kalitas, Traitor of Geth) o permite ter um late-game razo√°vel, podendo se portar bem contra os controls e os midranges. [deck](49281) O Sultai Delirium √© o cl√°ssico midrange do formato e utiliza uma quantidade significativa das melhores cartas que o Pioneer tem a oferecer: [card](Thoughtseize), [card](Jace, Vryn's Prodigy), [card](Uro, Titan of Nature's Wrath) e o finalizador de jogos supremo: [card](Emrakul, The Promised End). Com uma quantidade t√£o grande de bons cards ao seu dispor, o deck √© extremamente ajust√°vel ao meta de acordo com como for conveniente. Al√©m disso, o uso de [card](Traverse the Ulvenwald) adiciona certa consist√™ncia, seja buscando a land da cor que voc√™ precisa no early game, ou buscando a criatura que voc√™ necessita para lidar com a situa√ß√£o que est√° √° sua frente na mesa. Por outro lado, a maior fraqueza do Sultai √© justamente que ele tenta fazer muito e abrir m√£o de pouco: H√° situa√ß√Ķes onde voc√™ vai comprar a parte errada do deck, e vai perder o jogo por n√£o interagir da maneira que deveria com o oponente. Esses decks procuram enfrentar os combos utilizando uma quantidade relevante de m√°gicas disruptivas para atrasar o jogo deles, enquanto estabilizam uma mesa agressiva para aproveitar-se do tempo que o oponente perde tentando se recompor. Outros decks que utilizam dessa t√°tica incluem o Bant Spirits, o Mono-Black Aggro e o Niv to Light. Por fim, apresento-lhes o atual Control do formato. [deck](49277) A inclus√£o de [card](Yorin, Sky Nomad) ao formato fez com que as variantes de UW Control adotassem uma quantidade maior de permanentes, e assim surgiu o Esper Control. Com a capacidade de segurar o jogo por tempo o suficiente e a possibilidade de "blinkar" todas as suas permanentes com Yorion, o Esper Control funciona como um tapout: Ele abre m√£o da maioria das anula√ß√Ķes em prol de descartes e permanentes que tenham um efeito imediato quando entram em jogo. Al√©m disso, todos os planeswalkers que o deck utiliza s√£o extremamente eficientes, e resolver um Yorion com quatro ou mais permanentes na mesa costuma ser o suficiente para ganhar o jogo. Outros controls do formato incluem o Jeskai Superfriends e o Azorius Control. Cada um com uma forma diferente de interagir com o oponente e ganhar o jogo. E assim, encerro essa apresenta√ß√£o sobre o metagame do Pioneer. √Č claro que o formato n√£o se resume apenas √° esses decks, temos muitos outros aparecendo e fazendo resultados mais t√≠midos como o Naya Midrange, o Bant Spirits, ou o Mono-Black Aggro, Gx Stompy e at√© mesmo decks peculiares como o Dredgeless Dredge tem seu espa√ßo. Mas esses s√£o os decks que voc√™ precisa ter em mente quando montar a sua lista, pois s√£o eles que voc√™ tem mais chances de enfrentar ao se inscrever numa liga ou num Challange no MOL. E √© poss√≠vel que ser√£o alguns deles que teremos de considerar quando a pandemia passar e voltarmos √° possibilidade de jogarmos presencialmente e nos reunirmos em MagicFests ou eventos locais. Entretanto, existe uma parcela consider√°vel de jogadores que n√£o se sentem confort√°veis ou satisfeitos com o atual cen√°rio do Pioneer. Por isso, estarei debatendo em outro momento sobre a poss√≠vel predomin√Ęncia dos combos no formato e o que pode ser feito √° respeito para criar uma diversidade ainda maior no metagame. At√© l√°, Stay safe. Stay home.

Compartilhe:

Nota

0

Profile Main Image

Humberto

Organizador de eventos do Rio de Janeiro, como o Pauper Masters e o Pioneeiros e produtor de conte√ļdo nas horas vagas . Joga praticamente qualquer formato em que seja poss√≠vel montar um deck.

Social

User profile image
Profile Main Image

Thiago

Os Arquétipos do cEDH #09 - Birthing Pod Lines


Ol√°, meus queridos! Tudo bem com voc√™s? Meu nome √© Foga√ßa e estou aqui para falar sobre Commander. H√° algumas semanas, tivemos o t√£o citado artigo comentando sobre os Hatebears, e, nele, pudemos ver a import√Ęncia que criaturas que tentam freiar as estrat√©gias dos oponentes t√™m no formato. Minha ideia inicial era comentar sobre decks como Blood Pod e aproveitar o gancho para nos levar √† build do Opus Thief no pr√≥ximo artigo, mas, algo ficou incompleto naquele momento; naquela ocasi√£o, disse que tratar√≠amos das formas de vit√≥ria de Tymna & Tana em outra oportunidade. Pensando nisso, hoje ser√° o dia para discorrermos sobre as linhas de [[Birthing Pod]] e aproveitaremos para compar√°-las com as possibilidades que [[Primespeaker Vannifar]] nos traz. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/nph-new-phyrexia/birthing-pod-104.jpeg?1479) *O COMBO* Pensei muito em como explicar a ideia central das nossas linhas aqui, e, com isso, conclu√≠ que a melhor forma √© remetendo a dois cl√°ssicos extintos do Modern: o UR Twin e o Toolbox Birthing Pod; quem acompanhou esta √©poca deve lembrar que a consist√™ncia de um combo de duas pe√ßas causava problemas para a sa√ļde do formato, bem como as possibilidades que um tutor em forma de permanente nos trazem permitem que possamos n√£o s√≥ seguir estrat√©gias lineares, mas tamb√©m us√°-lo como uma ferramenta em favor do deck, permitindo uma solu√ß√£o de problemas muito mais pr√°tica do que o convencional. O que quero dizer aqui √© que, quando unimos esse tipo de combo com uma maneira consistente de busc√°-lo, temos algo bom, mas, quando essa maneira deriva de uma carta que pode servir como uma ferramenta a favor do deck, isso se torna potente o suficiente para buildarmos um arqu√©tipo inteiro em volta dela (o que pode ser aplicado tanto no caso de [[Birthing Pod]] quanto no caso de [[Demonic Consultation]]). Agora, falando especificamente sobre o Commander, podemos tra√ßar um paralelo entre tr√™s principais linhas que se popularizaram para as estrat√©gias de Pod Lines, de forma a ocupar poucos slots e permitir que as cartas caracterizadas por tutorar nossas pe√ßas de combo tamb√©m possam ser usadas para solucionar eventuais problemas (mesmo que o resto do deck tamb√©m trabalhe para estabilizar a board, √© interessante termos op√ß√Ķes). Cada linha foi baseada nas op√ß√Ķes que um tutor espec√≠fico nos d√°, de forma a possu√≠rem pe√ßas em comum, de acordo com sua utilizadade no racioc√≠nio apresentado, portanto, a melhor forma que encontrei para demonstr√°-las foi atrav√©s de um sequencimento por t√≥picos. ‚ÄĘ LINHA 1: [[BIRTHING POD]] Temos variadas op√ß√Ķes para as linhas baseadas no artefato de Nova Phyrexia, mas, a com maior popularidade integra o j√° conhecido deck Blood Pod, permitindo que usemos [[Tymna the Weaver]] como a fagulha inicial para nosso combo. A sequ√™ncia desta √© dada por: 1. Ativar [[Birthing Pod]] sacrificando Tymna para buscar [[Felidar Guardian]]; 2. Exilar [[Birthing Pod]] com a habilidade de Felidar, de forma a fazer com que o artefato volte para o campo desvirado; 3. Sacrificar [[Felidar Guardian]] com o Pod para trazer [[Karmic Guide]]; 4. Usar o efeito de [[Karmic Guide]] para trazer Felidar do cemit√©rio ao campo e novamente blinkar [[Birthing Pod]]; 5. Sacrificar Felidar outra vez, para, ent√£o, trazer [[Kiki-Jiki, Mirror Breaker]], ao jogo; 6. A partir da habilidade de Kiki-Jiki, retornar [[Felidar Guardian]] para o campo criando uma c√≥pia de [[Karmic Guide]]; 7. Usar o loop proposto entre [[Kiki-Jiki, Mirror Breaker]], e [[Felidar Guardian]] para finalizar o jogo. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/rna-ravnica-allegiance/prime-speaker-vannifar-195.jpeg?3955) ‚ÄĘ LINHA 2: [[PRIMESPEAKER VANNIFAR]] No caso de [[Primespeaker Vannifar]], sua utiliza√ß√£o pode ir at√© uma curva alta para trazermos alguma criatura chave, e, assim, combarmos ou impormos algum tipo de lock baseado na presen√ßa desta no campo, mas, o racic√≠nio mais popular que achamos √© o praticado no deck Blue Pod, dado pela seguinte linha: 1. Com o efeito de [[Primespeaker Vannifar]], sacrificar [[Thrasios, Triton Hero]], para trazer [[Pestermite]], [[Deceiver Exarch]] ou [[Bounding Krasis]] ao jogo; 2. Utilizar a habilidade da pe√ßa escolhida no passo anterior para desvirar Vannifar; 3. Usar o efeito de Vannifar para sacrificar a pe√ßa escolhida e trazer [[Breaching Hippocamp]] para o campo, desvirando-a novamente; 4. Sacrificar o Hipocampo para trazer [[Karmic Guide]] guide ao campo, tendo o pr√≥prio cavalo como alvo de sua habilidade; 5. Novamente, desvirar Vannifar para sacrificar o Hipocampo, mas, dessa vez, visando [[Kiki-Jiki, Mirror Breaker]]; 6. Ativar a habilidade de Kiki-Jiki para copiar [[Karmic Guide]], trazendo, assim, [[Breaching Hippocamp]] de volta ao campo mais uma vez; 7. Usufruir do loop entre [[Breaching Hippocamp]] e [[Kiki-Jiki, Mirror Breaker]], para finalizar o jogo. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/m15-magic-2015/yisan-the-wanderer-bard-209.jpeg?2549) ‚ÄĘ LINHA 3: [[YISAN, THE WANDERER BARD]] Mesmo que [[Yisan, the Wanderer Bard]] tenha outro papel como comandante, quando est√° incluso entre ao 99 (ou 98, dependendo do caso), ele representa uma redund√Ęncia para os efeitos apresentadoas aqui, e, com a ajuda de ¬ī¬īQuirion Ranger]] e [[Scryb Ranger]] para iniciarmos as linhas a partir da curva 3, podemos aproveitar seu potencial para nos dar outras op√ß√Ķes de jogadas. Sua principal linha tamb√©m integra as possibilidades tanto do Blood Pod, quanto do Blue Pod, sendo derivada da seguinte l√≥gica: 1. Ap√≥s usar os Rangers para elevar Yisan para tr√™s marcadores, buscar [[Village Bell-Ringer]], de forma a desvir√°-lo novamente, bem como todos seus mana dorks; 2. Ativar Yisan novamente, dessa vez para quatro, de modo a trazer [[Felidar Guardian]] ao campo; 3. Blinkar Bell-Ringer com a habilidade de Felidar, promovendo um novo untap, tanto de Yisan, quanto de nossas fontes de mana; 4. Em seguida ao novo untap, ativar Yisan para cinco, trazendo [[Kiki-Jiki, Mirror Breaker]], ao jogo; 5. Utilizar o loop entre Kiki-Jiki e Felidar ou entre Kiki-Jiki e Bell-Ringer para finalizar o jogo. *COMANDANTES* Basicamente, minha ideia para hoje era trazer as linhas para voc√™s e chegarmos a uma conclus√£o um pouco controversa, de forma que n√£o teremos varia√ß√Ķes, cartas not√°veis ou alternativas budget. Por√©m, j√° que citei dois decks espec√≠ficos, vou aproveitar essa sess√£o para diferenci√°-los, de modo a mostrar as diferentes nuances que derivam da estrat√©gia dessas linhas de Pod Lines. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/c16-commander-2016/tymna-the-weaver-48.jpeg?3136) [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/c16-commander-2016/tana-the-bloodsower-45.jpeg?9457) Seguindo a ordem das cita√ß√Ķes, vamos iniciar com o j√° conhecido Blood Pod. A build baseada em Hatebears compensa a falta do azul de forma a ser uma verdadeira caixa de ferramentas, possuindo uma criatura para cada situa√ß√£o que podemos ter no jogo. Deste modo, [[Birthing Pod]] acaba sendo uma pe√ßa √ļnica de intera√ß√£o, a qual pode nos liberar de um lock, trazer uma nova trava ao jogo ou permitir que n√≥s cheguemos √† vit√≥ria, sendo, desta forma, um meio para um deck disruptivo ter um acelerador para quando h√° a necessidade de explodir e um freio para regular a velocidade da mesa. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/c16-commander-2016/thrasios-triton-hero-46.jpeg?9510) [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/cartas/en/c16-commander-2016/bruse-tarl-boorish-herder-30.jpeg?5562) Seguindo para nossa outra cita√ß√£o, temos nosso querido Blue Pod, estreante aqui em nossos artigos. O deck foi pensado para adaptar o disruptivo Blood Pod para uma ideia mais midrange, de forma a adicionar o azul para agregar respostas e n√£o dependermos tanto de nossos Hatebears; o resultado disso foi a cria√ß√£o de um deck interativo que se protege com m√°gicas enquanto usa [[Birthing Pod]] e [[Primespeaker Vannifar]], seu paralelo em forma de criatura, como op√ß√Ķes de respostas, mas, sobretudo, como pe√ßas para gerar boardstate, sempre jogando para frente e compensando o vazio que os tutores pretos poderiam deixar para a constru√ß√£o. *CONCLUS√ÉO* Vou confessar para voc√™s que est√° cada vez mais dif√≠cil escrever esses artigos; os conceitos principais j√° foram abordados nas primeiras publica√ß√Ķes, logo, acabo por ter dificuldade para n√£o soar repetitivo e explicar novas ideias e aplica√ß√Ķes para as cartas em nossas mesas. Este fato me leva a ter um pouco de estranheza durante esta conclus√£o, j√° que o que quero demonstrar aqui √© contr√°rio a algumas ideias que propus anteriormente: como vimos, quanto menos slots um combo ocupar, melhor ser√° sua aceita√ß√£o, principalmente se ele pode agregar para outras inst√Ęncias do gameplay (como j√° foi explicado durante nossa fala sobre [[Demonic Consultation]]), mas, existem vezes onde um motor espec√≠fico para nossa intera√ß√£o serve t√£o bem para gerar valor na build que os slots perdidos s√£o compensados pela versatilidade que esse tipo de intera√ß√£o nos d√°. Por hoje ficamos por aqui. Pe√ßo que deixem seu feedback para que possamos melhorar sempre. A s√©rie tem como objetivo abordar apenas uma parte de toda uma esfera que abrange um formato de extrema diversidade, sendo assim, convido voc√™s para se inscreverem em meu [link](https://www.youtube.com/channel/UCyqfJp8MNsmyE89F2ALRYrg)(canal no YouTube), onde falo mais sobre Commander, n√£o s√≥ competitivo, mas tamb√©m em outras variedades, bem como falo sobre outros formatos. At√© a pr√≥xima, meus queridos!

Compartilhe:

Profile Main Image

Thiago

Jogador de Magic desde Tarkir, sou apaixonado por intera√ß√Ķes e sinergias que quebram a curva do jogo. Para mim, o cEDH √© o teste m√°ximo para o jogador de Magic, tanto para deck build, quanto para gameplay. Para me acompanhar no YouTube, acessem meu canal.

Social