O Commander com Cetro + Reversão - Breya, moldadora de Etherium

Tenho preparado o tema sobre Cetro Isócrono e Reversão Dramática a algum tempo, de uma forma que eu possa agregar o máximo de valor para estes em uma lista

Por Thiago, 17/10/19

Olá, meus queridos! Tudo bem com vocês? Meu nome é Fogaça e estou aqui novamente para falar sobre Commander. Hoje, o artigo vai ser especial para mim por alguns motivos. Tenho preparado o tema sobre

Cetro Isócrono

e

Reversão Dramática

a algum tempo, de uma forma que eu possa agregar o máximo de valor para estes em uma lista. Foi complicado pensar em um comandante onde a combinação dessas duas peças nos leve a um estado tão avançado quanto Breya, Moldadora de Etherium, deck o qual demorei a construir – isso graças ao fato de que suas builds estão atreladas a efeitos de Demonic Consultation (arquétipo já explicado em artigos anteriores). Além disso, usarei desse tema para anunciar oficialmente que agora estou na plataforma do YouTube, com uma canal onde adaptarei os artigos que faço por aqui para vídeo, de modo a sempre atender a necessidade da comunidade (o link se encontra ao fim do artigo). Então, sem mais delongas, apresento-lhes nossa idéia para Breya:

Ad

CONCEPÇÕES INICIAIS

O pensamento para a confecção do pré-construído de Breya foi organizar os arquétipos relacionados a artefatos e possibilitar uma combinação de cores que maximizasse a pool de cartas para tal. Os jogadores do cEDH, pelo contrário, viram na comandante de quatro cores uma possibilidade de abusar de mecânicas clássicas do formato e aumentar a um nível crítico o conceito de good stuff com base na color pie. Como eu disse anteriormente, busquei muito um comandante para dissertar sobre Cetro e Reversão, sem me importar com qual seria, porém, quando percebi seu potencial na Breya, não pude deixar de pensar que os builders dos mesões competitivos desperdiçam sua aptidão, a qual pode ser aproveitada com apenas um toque de mana infinita colorida.

CONSTRUÇÃO DO DECK

Olhando para nossa humana de forma mais atenta, percebemos que um loop que nos gere mana infinita é o suficiente para finalizar o jogo. Sua habilidade de criação de fichas permite que a sacrifiquemos junto a um de seus tópteros para causar três pontos de dano a um jogador alvo, de forma que possamos a conjurar novamente e impor essa finalização com certa consistência desde que as quatro cores de mana necessárias estejam disponíveis. Baseado nisso, adotei a idéia de usar a interação pautada em exilar

Reversão Dramática

com

Cetro Isócrono

, gerar três manas ou mais com nossas pedras, ativar a habilidade de Isócrono e copiar Reversão para desvirar nossas fontes de mana e repetir o processo, de modo a sempre haver um excedente de mana disponível para levar-nos a vitoria. Sei que a interação parece meio frágil quando falo, ainda mais por ser a única condição de mana infinita colorida de nossa lista, mas, para isso, aproveitaremos a característica de sacrifício de nossa general para nos dar vantagem e consistência durante a partida. Uma vez que Moldadora de Etherium nos da a possibilidade de sacrificar artefatos para realizar efeitos desejáveis, trabalharemos tanto com efeitos como o de

Goblin Soldador

(onde interagiremos com cemitério), quanto opções de stax e derivados que travem a mesa e possam nos dar tempo para, então, serem eliminados no momento certo e liberar nosso jogo. Em conjunto a esses,

Remodelar

e

Transação Aleatória

agregarão um novo valor, uma vez que seus drawbacks foram corrigidos por uma vantagem propiciada pela Commander.
Loading icon
O resto de nossa lista busca obter vantagem de mecânicas de sacrifício ou de tap para que nossas cartas sejam aproveitadas ao máximo. Também contamos com staples clássicas e algumas que normalmente não seriam interessantes, porém, ao exemplo de

Dack Fayden

, roubar um artefato de um oponente para então sacrificá-lo resolve dois problemas de uma vez.

SUBSTITUIÇÃO DE CARTAS DE ALTO VALOR

Cada pedacinho da Breya foi pensado para obter uma massa crítica de artefatos que possa gerar qualidade além da quantidade (diferente de outros decks de característica storm). Para baixar o valor da lista, essa postura pode ser alterada, permitindo a inclusão de cartas como

Trilha de Indícios

ou

Sai, Topterista Meste

, dando um ar mais performático e prezando a quantidade acima da qualidade.

POR ONDE COMEÇAR?

Se a Breya sozinha finaliza o jogo com a presença de mana infinita, as primeiras peças adotadas podem ser Cetro, Reversão e as pedras de mana para tal, assim, poderemos desenvolver com o tempo os métodos de controle e a qualidade que a lista preza em sua totalidade.

Ad

CONCLUSÃO

Após a análise dos argumentos, pode-se, pois, concluir que, às vezes, mesmo que um comandante tenha um padrão já estabelecido para sua otimização, isso não significará que este será o único caminho. As idéias inovadoras estão por ai, apenas devem ser lapidadas, de uma forma que o carbono se torne um diamante. Por hoje ficamos por aqui. Agradeço a todos que tem acompanhado essa série de artigos e peço que sempre deixem seu feedback para continuarmos melhorando. Para nos acompanhar no YouTube, acessem o link do meu canal. Até a próxima, meus queridos!

Nota

0

deck tech cedh
Profile Main Image

Thiago

Jogador de Magic desde Tarkir, sou apaixonado por interações e sinergias que quebram a curva do jogo. Para mim, o cEDH é o teste máximo para o jogador de Magic, tanto para deck build, quanto para gameplay. Para me acompanhar no YouTube, acessem meu canal.

Social Youtube Brands icon

User profile image
More comment
Meta análise - Semana 3 de Penny Dreadful

Meta análise - Semana 3 de Penny Dreadful

Deck da Semana: Jeskai Polymorph Modern

Deck da Semana: Jeskai Polymorph Modern

Mana Delver leva a melhor no grupo D do Royale Supercup

Mana Delver leva a melhor no grupo D do Royale Supercup

Mais artigos recentes

Mesmo autor

Os Arquétipos do cEDH #11 - Mana Infinita, e Agora?

Os Arquétipos do cEDH #11 - Mana Infinita, e Agora?

Os Arquétipos do cEDH #10 - Curiosity

Os Arquétipos do cEDH #10 - Curiosity

Os Arquétipos do cEDH #09 - Birthing Pod Lines

Os Arquétipos do cEDH #09 - Birthing Pod Lines

Mais do mesmo autor