O Commander com Food Chain - The First Sliver

Um comandante que possibilita uma construção quase nada restritiva

Por Thiago, 10/11/19

Olá, meus queridos! Tudo bem com vocês? Meu nome é Fogaça e estou aqui novamente para falar sobre Commander. Quando fizemos nossa análise sobre Eldraine, falei sobre

Chulane, Teller of Tales

, e de suas possibilidades; nesse mesmo artigo, citei que nosso druida poderia se enquadrar em uma estratégia de

Food Chain

, porém não entrei em detalhes sobre este arquétipo específico. Hoje, portanto, teremos a tão esperada dissertação sobre Cadeia Alimentar, e, para isso, falaremos do seu comandante mais opressor:

The First Sliver

.

Ad

CONCEPÇÕES INICIAIS

Sei que posso estar deixando um bom ponto passar, mas nessa análise iremos comentar apenas sobre

Food Chain

clássico, deixando, assim,

Prossh, Skyraider of Kher

, para outro momento. O combo sobre o qual estamos falando aqui envolve exilar

Misthollow Griffin

,

Eternal Scourge

ou

Squee, the Immortal

, com o encantamento usado, para, então, conjurá-los novamente do exílio e possibilitar mana infinita – o general escolhido servirá para ser conjurado e exilado, de forma a sucessivamente aproveitar seu efeito de cascata. Podemos fazer uma retrospectiva para entender como este sliver passou a ser opressor e porque seus companheiros de arquétipo caíram em desuso. Começaremos, então, citando

General Tazri

, um comandante de cinco cores com a habilidade de buscar um aliado quando entra no campo – seu efeito era suficiente quando existia apenas ele como opção (o fato de tutorar apenas aliados reduzia as opções de wincons para cartas como

Kalastria Healer

ou semelhantes, sendo algo restritivo). Com o advento de War of the Spark, tivemos uma solução para o problema de restrição de Tazri:

Niv-Mizzet Reborn

agora nos dava a opção de buscar cartas multicoloridas em vez de aliados, o que aumentava as possibilidades do comandante como recurso em si, mas ainda tornava a construção algo restritivo, ao passo em que deveríamos colocar muitas cartas de duas cores para preencher lacunas deixadas por staples monocoloridas. Ao lançar a coleção Modern Horizons, a Wizards solucionou os problemas dos jogadores de

Food Chain

, criando um comandante que possibilitava uma construção quase nada restritiva, ao mesmo tempo em que era uma peça de recursão por si só.

CONSTRUÇÃO DO DECK

Agora que sabemos do potencial do fractius escolhido, bem como conhecemos o combo usado, devemos nos questionar como sucessivas entradas no campo podem somar com a possibilidade de conjurar qualquer mágica de custo 4 ou menor sem pagar seu custo de mana. A solução dessa equação é pautada na utilização de efeitos como os de

Corpse Knight

,

Purphoros, God of the Forge

,

Goblin Bombardment

e

Impact Tremors

, agregando valor com infinitos efeitos ETB de nossa máquina de cascata. Se soubermos como finalizar o jogo, precisaremos saber como conseguir as peças necessárias para tal. Esse arquétipo é peculiar a partir do ponto em que poderemos exilar peças de nosso combo sem remorso, sendo que estas podem ser conjuradas do exílio – isso também nos permite a vantagem de usar efeitos que exilam cartas de nosso grimório como tutores;

Manipulate Fate

se torna um tutor e um filtro para remover e dar acesso às criaturas que serão combinadas com

Food Chain

, bem como os tutores proibidos (

Demonic Consultation

e

Tainted Pact

) tornam-se efeitos de 2 para 1 quando removem as peças de mana e nos garantem o acesso ao encantamento cobiçado. Um adicional da boa utilização dos tutores citados, somado com o potencial da habilidade de

The First Sliver

, é a possibilidade de usar

Jace, Manipulador de Mistérios

, como kill condition sem o menor pudor.
Loading icon
Todo o resto da construção é baseado em cartas de valor individual que podem agregar, tanto para velocidade, quanto para consistência em nosso combo, sendo que este acaba por ser um dos combos de mais resiliência do formato.

CONCLUSÃO

Assim, após a análise dos argumentos, pode-se, pois, concluir que os decks evoluem com o tempo. Mesmo que haja um comandante um tanto quanto restringindo atualmente, podemos botar fé no suporte que a WotC nos dá; o Commander é um dos principais produtos para o Magic – a empresa responsável pelo jogo olha com carinho para nós, jogadores do formato, e permite que gradualmente as deficiências do meta sejam corrigidas.

Ad

Por hoje ficamos por aqui. Agradeço a todos que tem acompanhado essa série de artigos e peço que sempre deixem seu feedback para continuarmos melhorando. Para nos acompanhar no YouTube, acessem o link do meu canal. Até a próxima, meus queridos!

Nota

0

deck tech cedh
Profile Main Image

Thiago

Jogador de Magic desde Tarkir, sou apaixonado por interações e sinergias que quebram a curva do jogo. Para mim, o cEDH é o teste máximo para o jogador de Magic, tanto para deck build, quanto para gameplay. Para me acompanhar no YouTube, acessem meu canal.

Social Youtube Brands icon

User profile image
More comment
Resumo da reunião de acionistas da Hasbro em 2021

Resumo da reunião de acionistas da Hasbro em 2021

Wizards Anuncia Universes Beyond,  com Warhammer 40k e Senhor dos Anéis

Wizards Anuncia Universes Beyond, com Warhammer 40k e Senhor dos Anéis

Time Asa Branca ganha novamente e dispara no Royale SuperCup

Time Asa Branca ganha novamente e dispara no Royale SuperCup

Mais artigos recentes

Mesmo autor

Os Arquétipos do cEDH #11 - Mana Infinita, e Agora?

Os Arquétipos do cEDH #11 - Mana Infinita, e Agora?

Os Arquétipos do cEDH #10 - Curiosity

Os Arquétipos do cEDH #10 - Curiosity

Os Arquétipos do cEDH #09 - Birthing Pod Lines

Os Arquétipos do cEDH #09 - Birthing Pod Lines

Mais do mesmo autor