Profile Main Image

Andre

Pensamentos Pioneiros

O que achou do formato? Pretende se aventurar?

Na altura do campeonato, não posso dizer que sou um PIONEIRO nesse assunto. A maioria das coisas que precisavam ser ditas ou explicadas foram já feitas, e esse hiato será duplamente importante para esse artigo. Primeiro porque não precisarei expor aqui o que é o formato ou como funciona, e também porque foi necessário para que este noob, que vos escreve, pudesse recolher as principais opiniões sobre o assunto e formar um julgamento mais consistente e assertivo sobre este formato que “ninguém queria” mas que já é um sucesso! Aqui pretendo discorrer um pouco sobre como uma nova maneira - oficial - de jogar Magic irá afetar a vida de meros mortais com escorpiões na carteira. Mesmo para quem entra no mundo Magic apenas para se divertir, ao menos uma vez irá se deparar com a possibilidade de participar de um torneio, e convenhamos por mais que competir seja o objetivo, amargar um 0x5 não é exatamente uma experiência que queiramos vivenciar após pagarmos nossas inscrições. Diante dessa triste perspectiva temos duas opções, não se inscrever em torneios - e se furtar dessa vivência maravilhosa! - ou coçar o bolso e investir em cartinhas que tenham valor na estratégia escolhida para o nosso deck. Ambas as perspectivas parecem bem desanimadoras, principalmente a segunda, quando encontramos cartas com valores que batem facilmente ⅕ do piso salarial básico nacional. Um outro fator bastante impactante é a dificuldade que nós, recém chegados ao Magic, temos para encontrar determinadas staples. Ignorando completamente o valor financeiro, muitas dessas cartas, dado o tempo de impressão, exigem um esforço considerável para encontrar alguém que esteja disposto a passá-las. E temos ainda o principal argumento da Wizards, que é a lacuna existente entre a primeira coleção válida no Modern e as cartas das coleções mais recentes. Segundo o mesmo, quem entrava agora achava pouco proveito para suas cartas recém rotacionadas do standard, principalmente por que encontravam no Modern um meta bem posicionado, apesar de variado, e com muito power level em relação às coleções mais recentes - Tô olhando pra você Raio! Algo que pude constatar acompanhando toda essa história, foi a divergência de juízos acerca dessa questão. Muita gente recebeu de braços abertos o novo formato, esperando encontrar nesta nova forma de jogar um lar para seus pet decks saídos do formato padrão ou para ideias que teriam pouco espaço na selva moderna. Assim como muitos detestaram a notícia, vendo no mesmo o princípio do fim, para o Modern. Alegando que o pioneiro estava sendo empurrado goela abaixo e que ninguém queria o novo formato, além da própria wizards. Os primeiros, assim como eu, possivelmente viram no novo formato a oportunidade de encontrar um meta financeiramente mais amigável, os segundos, por já estarem no formato Modern temeram que o novo formato fosse aos poucos - a despeito dos avisos da wizards - ser abandonado, juntamente com seus preciosos investimentos. Se estavam certos ou não, só o tempo e a história recente do Magic podem dizer... Em um primeiro momento confesso que vi no pioneiro uma boa oportunidade de entrar num formato competitivo investindo talvez a mesma coisa que investiria num deck tier 1 do pauper, algo em torno dos seus R$ 300,00. Ledo engano! Em algumas horas após o anúncio, muitas das cartas que poderiam jogar no novo formato começaram a subir de preço. Quem tinha um certo conhecimento do mercado e do Magic, conseguiu adquirir a valores módicos, para novatos como eu, que não fazem ideia para que lado o vento está soprando, sobrou o amargo sabor da expectativa. Mas nem tudo são lágrimas! O pioneiro não é a bala de prata para quem está procurando se aventurar de maneira competitiva. Estamos diante de novos horizontes e tudo pode mudar de uma hora para outra - e irá, segundo a própria wizards. Então, mesmo que tivesse disposto a investir no formato agora uma pequena fortuna, esperaria o meta de consolidar um pouco - me resguardando de eventuais ban - procurando investir na base de terrenos. O artigo do Leon Diniz, publicado um dia após o anúncio do Pioneiro, apontou um norte para quem deseja seguir esse caminho, porém muita coisa já estava inflacionada, no entanto os terrenos que ele elencou ainda são um bom investimento e com o tempo, possivelmente, ficarão mais caros. Quase duas semanas após o anúncio, com os sentimentos mais assentados, a percepção geral é que o pioneiro chegou para ficar, ao menos pelos próximos oito anos. Como jogador, motivado principalmente por estar assistindo o nascimento de um formato promissor, pretendo me arriscar no Pioneiro, talvez investindo mais do que usualmente invisto. Não esperava um novo formato, assim como muitos. Mas a possibilidade de, mesmo em desvantagem de experiência, explorar as possibilidades do pioneiro são um excelente atrativo! Como criador de conteúdo, vejo a oportunidade - da mesma forma que outros criadores - de trazer algo novo e por essa razão investirei em decks e listas com orçamentos limitados, buscando como sempre a diversão. E você? O que achou do formato? Pretende se aventurar? Tem sugestão de listas para gente testar? Cola junto aí os comentários e vamos seguir nessa jornada lado a lado! *Referências* [link](https://magic.wizards.com/pt-br/articles/archive/news/anunciando-o-formato-pioneiro-2019-10-21)(https://magic.wizards.com/pt-br/articles/archive/news/anunciando-o-formato-pioneiro-2019-10-21) [link](https://cardsrealm.com/artigos/provaveis-decklists-e-staples-do-novo-formato-pioneer)(https://cardsrealm.com/artigos/provaveis-decklists-e-staples-do-novo-formato-pioneer) [link](https://www.mtggoldfish.com/articles/new-format-announced-pioneer)(https://www.mtggoldfish.com/articles/new-format-announced-pioneer) [link](https://www.channelfireball.com/all-strategy/articles/wizards-announces-new-constructed-format-pioneer/)(https://www.channelfireball.com/all-strategy/articles/wizards-announces-new-constructed-format-pioneer/) [link](https://www.channelfireball.com/all-strategy/articles/12-pioneer-decks-to-build-around/)(https://www.channelfireball.com/all-strategy/articles/12-pioneer-decks-to-build-around/) *Vídeos sobre o formato* [link](Tolarian Community College)(https://www.youtube.com/watch?v=S5J25x6WvAQ) [link](https://www.youtube.com/watch?v=q9jjFJu2aPE)(Cabrito Montês) [link](https://www.youtube.com/watch?v=CLe2lttC67E)(Café com Magic) [link](https://www.youtube.com/watch?v=uRGiHRLeAXk)(UMotivo) [link](https://www.youtube.com/watch?v=Bjs_5DJD-bY&feature=youtu.be)(Fazendo Nerdice) *Podcast sobre Pioneiro* <iframe width="100%" height="180" scrolling="no" frameborder="no" allow="autoplay" src="https://w.soundcloud.com/player/?url=https%3A//api.soundcloud.com/tracks/701755003&color=%23ff5500&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&show_teaser=true"></iframe>

Compartilhe:

Nota

0

Profile Main Image

Andre

Pai, Professor, Programador, não necessariamente nesta ordem. Achou no Magic uma excelente fonte de diversão individual e em família; e tem como desafio pessoal, se divertir ao máximo gastando o menos possível.

Social

User profile image
Profile Main Image

Leon

Entrevistando Jorge Jacoh, ensinando crianças a jogar Magic


Jorge Jacoh é professor no Rio de Janeiro e também é dono de um dos projetos mais importantes no nosso mundo do Magic! Ele faz parte da iniciativa [link](https://www.facebook.com/newplaneswalkers)(New planeswalkers). A missão do projeto é direta: "Proporcionar aos discentes, através do Card Game, uma opção pedagógica diferenciada de aprendizado social e curricular, apresentando um jogo que, certamente, não teriam acesso de outra maneira.". Em suma, é um sucesso e não há ninguém melhor do que ele para ensinar alguém a jogar Magic. Então vamos entrevistá-lo para descobrir como ensinar o jogo! *(1) A quantos anos você joga Magic? Desse tempo pra cá, acredita que Magic ficou mais atraente para crianças?* Resp.: Sou daquela categoria de jogadores matusalém que começaram a jogar MTG ainda na década de 90 (1995 no meu caso). Vi muitas transformações no jogo nestas décadas. Mas, por si só, o MTG nunca foi um jogo realmente atraente por sua simplicidade. Foi um feito e tanto transformar o MTG em um eSport. Mas, mesmo assim, se não fosse o NPW (Sigla do Projeto New Planeswalkers), essas crianças jamais teriam acesso ao MTG. *(2) O interesse inicial em ensinar Magic para meninos e meninas veio de você ou houve algum gatilho? * Resp.: Sou professor da rede pública do Rio de Janeiro há 10 anos e sempre me incomodei com as metodologias pedagógicas mais tradicionais (aquelas das aulas expositivas nas quais os o professor apenas transmite o que sabe para seus alunos). E, sinceramente, estava de saco cheio de tanto tradicionalismo. Então pensei em alinhar duas coisas que muito gosto de fazer (ensinar e MTG). Foi bastante natural. Concomitantemente, aproveitei para um destino a toda aquela coleção de cartas desnecessárias que estavam entulhando minha casa. Destino melhor impossível. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/uploads/1572407840.jpeg) *(3) Qual o processo que você aconselha para pessoas que gostariam de ensinar Magic a seus filhos?* Não tenho filhos logo educar em casa é uma coisa que puxo pouca experiência para não dizer nenhuma. Mas uma coisa que percebo no relacionamento os responsáveis dos meus alunos e seus filhos é de uma extrema falta de paciência, de carinho e de atenção. Tornando esses pré-adolescentes muito carentes. Parece se tratar de uma mazela maior nesse século 21: a falta de tempo para o que mais importa, educar. *(4) Você acredita que as habilidades desenvolvidas por crianças no Magic a ajudam nas atividades escolares?* Se pensarmos o processo pedagógico como abrangente, rico e baseado em valores e não exclusivamente fechado em conteúdos MTG com certeza tem muito a ensinar. Valores como honestidade, organização, planejamento, administração de recursos se fazem presentes o tempo todo no jogo. * Se pensarmos de um prisma curricular o MTG auxilia na prática da interpretação de texto os cálculos matemáticos básicos sem contar na influência artística presente nas histórias e nos cards. Tudo isso de uma forma direta. Indiretamente, as possibilidades são infinitas. Ficando a critério da criatividade do professor. *(5) O Magic é um jogo muito complexo e caro. Se as crianças tomarem interesse e quiserem jogar torneios, vocês incentivam torneio entre elas?* Sobre o custo do MTG tentamos sempre trabalhar com as duas opções fornecidas por toda comunidade. A qual consegue ser mais fantástica que o próximo jogo. o alunos do projeto tem acesso aos cards mediante apresentação do que chamamos de atestado do digno. Esse documento, produzido pelas mãos do próprio aluno, consiste nas assinaturas de seus oito professores atestando que o aluno cumpriu com todas as atividades daquela semana. Na prática, para jogar Magic no projeto, o aluno só precisa cumprir com as suas atividades pedagógicas dentro e fora da escola. Consegui por uma vez levar os melhores alunos para um pré release em uma loja, a Bolsa do Infinito, no Engenho Novo (bairro daqui do Rio de Janeiro). Infelizmente, a distância de Santa Cruz para o Eng. Novo é elevada (52km) tornando o deslocamento nestes eventos bem complicado e particularmente exaustivo. Mas pretendemos fazer mais vezes. [image](https://cdn.cardsrealm.com/images/uploads/1572407843.jpeg) *(6) Quais são as suas maiores preocupações com elas durante os eventos?* Nenhuma. Como apenas os melhores alunos do projeto e da eacola tiveram essa oportunidade, não precisei me preocupar com eventuais desvios de valores que o MTG poderia causar. *(7) Vocês jogam outros card games como Pokemon ou Yu-Gi-Oh? Outros board games também?* Tentamos implantar o KeyForge entre os "portadores das cártulas" (8 melhores alunos do projeto no ano). Mas pelos carência de volume e variedade, ainda, o KeyForge está em caráter experimental. Adicionalmente, estamos trabalhando o RPG e seu caráter imaginativo fantástico. Também ainda em caráter experimental. *(8) Vimos que você estará na escola CEFET/RJ, no Maracanã, em novembro ensina sobre o jogo. O que poderemos encontrar por lá?* A [link](https://doity.com.br/ii-simposio-fluminense-de-jogos-e-educacao)(Ludus Magisterium abriu um importante espaço para discutirmos a utilização do MTG em sala de aula) em um workshop no II Simpósio Fluminense de Jogos e Educação nos dias 22 e 23 de novembro. Nele estaremos discutindo as práticas e formas de ampliar a inserção do MTG e outros Card Games nas práticas pedagógicas no cotidiano. Espero expandir os meus horizontes e dos meus interlocutores sobre o tema. Vejo vocês lá... *Muito obrigado Jacoh!* Caso tenham gostado do projeto, podem seguí-lo no [link](https://www.instagram.com/newplaneswalkers/)(Instagram) ou no [link](https://www.facebook.com/newplaneswalkers)(Facebook). *Também fizemos um Podcast sobre como ensinar pessoas a jogar Magic, caso este tópico te interesse*. <iframe width="100%" height="180" scrolling="no" frameborder="no" allow="autoplay" src="https://w.soundcloud.com/player/?url=https%3A//api.soundcloud.com/tracks/705815734%3Fsecret_token%3Ds-MBaK1&color=%23ff5500&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&show_teaser=true"></iframe>

Compartilhe:

Profile Main Image

Leon

Programador do site da Cards Realm. O Magic vai muito além das cartas. Somos pessoas, uma comunidade enorme.

Social